Espectáculos

o exacerbar da solidão ou mil formas de (tentar) preencher um vazio

M/18

 

os tempos isolam-nos entre quatro estreitas paredes e abrem-nos janelas que nos transportam para distâncias inimagináveis. a proximidade física à realidade é hoje conseguida pela inteligência tecnológica vazia de emoções. entregues à evolução, experimentamos novas realidades, novas interacções com o mundo. estamos em permanente contacto, mas parece nunca ter feito tanto sentido pensar a solidão.

o que significa (agora) estar sozinho numa era em que estamos mais (inter)ligados do que nunca? o que é (agora) a comunicação, numa era em que não precisamos de proximidade para passar uma mensagem? porque continua (agora) a existir solidão se estamos em permanente comunicação? porque faz (agora) sentido pensar a solidão numa era de globalização? o que é esse acto de se sentir só? o que é estar só? o que é, tão simplesmente, o estar/existir?

o exacerbar da solidão ou mil formas de (tentar) preencher um vazio é um projecto artístico que conjuga na sua concepção um programa de criação automática de texto e três áreas performativas (teatro, dança e música) pretendendo, num momento de particular convulsão social, reflectir sobre a solidão humana.

inspirado em obras de Giacometti e no filme Holy Motors de Leos Carax, abrimos o diálogo entre artistas e não-artistas para potenciar a aproximação de linguagens e vivências, procurando uma manifestação da expressão performativa da solidão e, daí, trazer para o corpo, para a palavra e para a cena essas inquietações.


FICHA ARTÍSTICA

Direcção Artística: Jaime C. Soares

Assistência Coreográfica: Inês Silva e Lea Siebrecht

Intérpretes: Daniel Pinheiro, Eduarda Alves, Inês Silva, Lea Siebrecht, Beatriz Soares, Emília Silva, Gabriela Lecour, Gabriel Lopes, José Pedro Rocha, Mafalda Barbosa, Pedro Martins, Susana Marques

Música Original: Rafael Maia

Cenografia: Nuno Lucena

Desenho de Luz: Rui Damas

Texto: gerado automaticamente por computador através do Poemário.js, de Rui Torres [conceito] e Nuno Ferreira [programação], com recolha lexical de Sónia Granja Barbosa

Direcção de Produção: Sónia Granja Barbosa

Assistência de Produção: Catarina Pinto, Susana Neves

Fotografia de Cena: Joana Meneses

Design Gráfico: Cláudia Castro

Uma Produção: NAPALM (Companhia de Teatro Dança em Conjunto ou Alternadamente)

Apoio Institucional: Garantir Cultura | República Portuguesa – Cultura | Direção-Geral das Artes | Teatro Helena Sá e Costa | ESMAE | IPP

Agradecimentos: Escola Artística Soares dos Reis | Acácio Carvalho | Fernando Vasquez | Rui Torres

 

  • Duração: 60m aprox.
© 2021 NAPALM. All Rights Reserved. Powered by mixtura ®